Amigos! Eis aqui o dos olhos de mel! O Poeta!
.MJoão Sousa

Cria o teu cartão de visita
Sábado, 20 de Setembro de 2008
SALMO

 

De não saber morrer me vou vivendo,

inquieto, como os bichos acossados.

De vez em quando um beijo,

e os meus cuidados

como um ventre de grávida crescendo

a um parto que não vejo!

 

- Lua de versos, ó madrinha incerta

das minhas horas nuas, cor de lava

dessa illha deserta

onde o meu sonho cava

com as unhas em sangue o seu caminho!

Ó lua errante por um céu maninho,

se não podes salvar-me, dize ao vento

que me desfaça esta carne pesada

e me semeie os ossos, noite fora!

 

(O meu tormento

é a sombra varada

duma dor que demora

além da sua hora.)

 

- Ó lua, mãe de medo,

deixa, ao menos, uivar-te o meu segredo!

 

 

In - "Terra ao Mar", Editorial Inquérito, 1954


sinto-me:

publicado por poetaporkedeusker às 16:41
link do post | COMENTE, POR FAVOR... | favorito
|

4 comentários:
De cateespero a 20 de Setembro de 2008 às 18:43
Olá Maria João!
Acredite que não resisti em transcrever o comentário que acabo de ler "...Poeta autêntico, por cujo estro fecundo perpassa toda a gama de emoções humanas,...". depois de isto não me atrevo a dizer o que quer que seja. Fique bem e tenha um excelente final de semana. Um grande xi coração! António


De poetaporkedeusker a 20 de Setembro de 2008 às 22:47
Obrigada pelas suas palavras, António. É apenas a transcrição de um pequeno texto que li num recorte de jornal. Lamento que não esteja assinado.
Como tem andado a sua caixa de correio? A minha esteve óptima ontem e hoje de manhã, mas à tarde voltou a avariar-se... ou seja lá o que for.
Um abraço para si!


De ligeirinha a 21 de Setembro de 2008 às 15:29
António; Estou preocupadissima com a situação da poeta!
Já viu que ela se despediu de nós?
E penso que é por falta de pagamento á TMN.
E nós ficamos assim????
Pense nisso e diga-me q.q. coisa , urgente, está bem?
A vida é tão injusta, meu Deus!


De poetaporkedeusker a 21 de Setembro de 2008 às 15:55
Ó minha querida Ligeirinha, não te preocupes que eu volto kuandodeuskiser! Não é para ficares aflita, é porque eu penso que vos devo uma explicação. Podem estar descansados que isto se há-de resolver. Só quero é que o Estado Português me reconheça o direito à Reforma Mínima.
Não se preocupem porque eu hei-de voltar e comigo volta o antoniodesousa.
Um abraço de cometa!


Comentar post

mais sobre mim
passando as folhas do livro...
 
Outubro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
24
25
26
27
28

29
30
31


posts recentes

COLECTÂNEA FÉNIX -

DUALIDADE

FLOR DO CÉU

ANTÓNIO DE SOUSA E NATÁLI...

Colectânea António de Sou...

arquivos

Outubro 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Novembro 2016

Junho 2014

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

tags

todas as tags

favoritos

CONVERSANDO COM MARIA DA ...

É a arte, solidão?

SO(LAS)

“A Linha de Cascais Está ...

CANTIGA PARA QUEM SONHA -...

Our story in 2 minutes

«A TAUROMAQUIA É A ÚNICA ...

Novidades a 13 de Dezembr...

LIMPAR PORTUGAL

Ler dos outros... (cróni...

links
as minhas memórias
subscrever feeds