Amigos! Eis aqui o dos olhos de mel! O Poeta!
.MJoão Sousa

Cria o teu cartão de visita
Terça-feira, 28 de Outubro de 2008
...

 

Confesso. Confesso que acordei à uma da tarde com um telefonema que gostaria de nunca ter recebido.

Confesso que estou lenta e toda "partida" e que quase deseperei enquanto tratava a minha "gente". Confesso que deixei escapar o Spirit e que fiquei inevitavelmente esgatanhada no, ainda mais invitável, confronto que se deu com os outros 13. Confesso que tenho uma dor de cabeça tão monumental que quase me parece desumana. Confesso que fiquei com vontade de mandar o 2008 às urtigas quando ele voltou a "empancar", como vem acontecendo há mais de 48 horas. Confesso que estou farta de fazer actualizações manuais e os "scan the whole computer" que me desesperam durante exactamente 1 hora, 8 minutos e 53 segundos. Confesso que estou farta, fartíssima, de não ter acesso à caixa de correio, de não conseguir abrir páginas... confesso que, hoje, mal me reconheço.  E porque este desespero todo - ou raiva, ou desistência, ou tudo à mistura... - não são, graças a Deus, comuns em mim, nasceu-me outra Maria-Sem-Camisa, essa que é 99,9% de mim e que me veio "abanar" as ideias. É que este estado de espírito não leva a coisa nenhuma e ela resolveu brindar, com a sua gargalhada, o 0,01% da minha pessoa que, hoje, decidiu comandar-me.

 

MARIA-SEM-CAMISA XV

 

Maria-Sem-Camisa nunca trai!

Pode, às vezes zangar-se, olhar de lado,

Mas guardará consigo o que contado

Lhe pode dar razão. Mas cala e sai.

 

Maria-Sem-Camisa está zangada?

Foi porque o Mundo quis manipular

A forma de "se ser" e de "se estar"...

O resto não a toca quase nada!

 

Maria-Sem-Camisa, olha esse gato!

Perpetuou tamanho desacato

Que a casa ficou toda em desalinho!

 

Mas Maria desata à gargalhada...

A casa, mesmo assim desarrumada,

É o seu universo, é o seu ninho...

 

 

"Ashes" - Edward Munsch

Imagem retirada da internet

 

 

 

 


sinto-me: Sem casa? Nunca!

publicado por poetaporkedeusker às 16:49
link do post | COMENTE, POR FAVOR... | favorito
|

8 comentários:
De Fisga a 29 de Outubro de 2008 às 16:45
Olá amiga João. Eu já sabia que mais dia menos dia tu ias ter dissabores, com esse exercito de meninos e meninas cheios de sangue na guelra. Confesso que não invejo a tua vida com. Um abraço Eduardo.


De poetaporkedeusker a 29 de Outubro de 2008 às 23:37
Estou mesmo a ter dissabores, Eduardo, mas aqui está tudo velhote... o único que traz o "sangue na guelra" é o Spirit que consegue dar pancada nos outros todos e até em mim, no meio da confusão...
preciso mesmo de arranjar um dono para este jovem gato! Ele é um amor e é lindo, mas, num espaço tão pequeno, não aceita os outros de maneira nenhuma.
Eu tenho um T1. È um T1 grandinho, mas com tanta "gente" parece mais uma barraquinha de praia!
Abraço!


De Fisga a 30 de Outubro de 2008 às 18:11
Olha amiga eu gostava de te poder ser útil, mas na verdade não posso fazer nada para te aliviar desse pesadelo, Já falei de ti a várias pessoas e do sprit, nada. Já tentei convencer a minha companheira para o trazer-mos para cá. Mas ela que não gosta de gatos. E depois ainda está muito dorida pela perda do sipo. O que hei de dizer eu que tive que ser cumplisse na morte dele.
Olha amiga tens que ter calme e fé em melhores dias. Um abraço Eduardo.


De poetaporkedeusker a 30 de Outubro de 2008 às 22:40
Não te preocupes, Eduardo. Não é exactamente um pesadelo... é apenas um pequeno agravamento das minhas condições de trabalho. Eu não costumo ter pesadelos. Tive, quando era nova, agora já não... mas sonho bastante. A dormir e acordada. Afinal é o sonho que comanda a vida...
Abraço.


De Fisga a 31 de Outubro de 2008 às 17:24
Olá Maria João: Que frase tão bonita e tão real. Uma boa noite de sonhos para ti amiga. E um bom fim de semana. Abraço Eduardo.


De poetaporkedeusker a 1 de Novembro de 2008 às 13:09
Bonita é, e real, vamo-la tornando todos os dias!
Abraço grande!


De cateespero a 31 de Outubro de 2008 às 18:32
M. João!
Cá para mim este artigo e este soneto foi publicado neste blog por engano! Eu serei eu que estou engado?
Abraços
António


De poetaporkedeusker a 31 de Outubro de 2008 às 22:06
Pois tem toda a razão, meu amigo! Este post não ia para aí, de maneira nenhuma... mas eu estava furiosa com o sapito, ele "apareceu" aí ainda gostava de saber como pois estava a postar no poetaporkedeusker...) e deixei-o ficar... Já tinha comentários e tudo, não valia a pena "desmanchá-lo" todo.
Um grande abraço e obrigada pela visita... e pelo apoio.


Comentar post

mais sobre mim
passando as folhas do livro...
 
Fevereiro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28


posts recentes

DUALIDADE

FLOR DO CÉU

ANTÓNIO DE SOUSA E NATÁLI...

Colectânea António de Sou...

NA PARTIDA DO POETA

arquivos

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Novembro 2016

Junho 2014

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

tags

todas as tags

favoritos

CONVERSANDO COM MARIA DA ...

É a arte, solidão?

SO(LAS)

“A Linha de Cascais Está ...

CANTIGA PARA QUEM SONHA -...

Our story in 2 minutes

«A TAUROMAQUIA É A ÚNICA ...

Novidades a 13 de Dezembr...

LIMPAR PORTUGAL

Ler dos outros... (cróni...

links
as minhas memórias
subscrever feeds