Amigos! Eis aqui o dos olhos de mel! O Poeta!
.MJoão Sousa

Cria o teu cartão de visita
Quarta-feira, 1 de Julho de 2009
CONCORDÂNCIA

 

 

Quando a brisa falhou na hora H,

larguei a escota e fui dormir.

(O que a vida nos dá

é tudo quanto temos a pedir.)

 

Quando o mar disse não, rezei-me à terra

e tudo correu bem!

(Afinal o pior é andar-se em guerra

com o que se não tem.)

 

Minha marinharia aqui me trouxe,

a esta paz natural.

Estou quase velho já. O céu passou-se,

mas doce é o luar em que derivo.

Se não muito, estou vivo.

É o que vale.

 

 

In "Linha de Terra", Lisboa 1951

 

 

 

 

Imagem retirada da internet

 


sinto-me:

publicado por poetaporkedeusker às 11:47
link do post | COMENTE, POR FAVOR... | favorito
|

mais sobre mim
passando as folhas do livro...
 
Outubro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
24
25
26
27
28

29
30
31


posts recentes

COLECTÂNEA FÉNIX -

DUALIDADE

FLOR DO CÉU

ANTÓNIO DE SOUSA E NATÁLI...

Colectânea António de Sou...

arquivos

Outubro 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Novembro 2016

Junho 2014

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

tags

todas as tags

favoritos

GLOSANDO A POETISA MARIA...

CONVERSANDO COM MARIA DA ...

É a arte, solidão?

SO(LAS)

“A Linha de Cascais Está ...

CANTIGA PARA QUEM SONHA -...

Our story in 2 minutes

«A TAUROMAQUIA É A ÚNICA ...

Novidades a 13 de Dezembr...

LIMPAR PORTUGAL

links
as minhas memórias
subscrever feeds