Amigos! Eis aqui o dos olhos de mel! O Poeta!
.MJoão Sousa

Cria o teu cartão de visita
Sexta-feira, 29 de Agosto de 2008
SEGUNDA CARTA DE LONGE

 

MANUEL RIBEIRO DE PAVIA MORREU A 19 DE MARÇO DE 1957, DIA EM QUE FEZ 47 ANOS.

 

Manuel Ribeiro de Pavia:

Esta carta é para ti.

SEGUNDA CARTA DE LONGE.

A primeira-há quantos anos!-

foi para minha mulher,

então confiante e jovem,

hoje a Mãe do meu filho mais novo

e Avó de sua filha

e um pouco minha Mãe.

 

(-Tu, Velhinha querida,

não tens ciúmes, não?)

 

Manuel de Pavia:

Em espírito e verdade,

numa hora crepuscular da minha vida,

- Não sei por que milagre

mais velho de tão novo-

foste o meu último irmão.

 

Não da carne e do sangue

mas de um sonho estelar

"romântico e pungente"

cortado de sarcasmo

ou de magoadas lágrimas

- em ti, inconfessadas,

em mim, secas ao vento.

 

O meu último irmão.

 

Partiste,

para Lá, para onde?

De longe é que te escrevo.

 

Já encontraste aí

- nesse onde estás, que estás -

minha irmã?

(Menina Branca

fugida aos trilhos da terra

antes que esta lhe desse os seus venenos)

E meu pai, o Meu Velho?

Já lhe falaste de mim?

Deste-lhe notícia do meu renovo,

dos meus pequenos triunfos?

(Discreto e nobre,

sei que não lhe disseste

a tua parte neles.)

 

Contaste-lhe da sua bisneta,

da tua infantil camarada

que te fez num retrato

com pernas de légua e meia

e que desenha Anjos muito melhor do que tu?

Descreveste-lhe esta casa

que tu honraste com a tua presença

sempre tão desejada

e requerida à tua esquiva reserva

e afinal concedida

com a alma e o coração abertos?

 

Manuel de Pavia:

 

Segunda Carta de Longe,

esta carta é para ti.

 

(Os outros que me lerem

assistem, de testemunhas,

mais ou menos presentes,

mais ou menos fiéis.)

 

Amigo!

No teu orgulho heróico,

sei que não quiseras que te chore

e, se te choro, é por mim.

 

Mesmo assim,

dorido,

mais velho de repente

e mais só,

tenho de te dizer

(e não sei se me escutas)

que não quero

e não hei-de

separar-me de ti.

 

Tenho de prometer

(é a Deus ou a quem?)

que ficarás em mim,

num ditame de esperança

ao melhor do meu ser.

(Tal como tu quiseras.

Esse, um dos teus dons:

despertar os dormentes.)

 

Tenho de te dizer

que a tua obra, VIVA,

será sempre (o meu sempre)

um aceno ao Poeta que em mim está.

Para que passe além

mais leal e mais puro,

ao serviço da Beleza e da Vida,

na alegria e na dor.

E ELE e eu - um Homem.

 

(Para o meu sempre Amigo e para nunca mais)

 

Algés, Março de 1957 às 22.31h

 

Imagem - Fotografia de Manuel Ribeiro de Pavia desenhando, em nossa casa.

 

In - "Livro de Bordo" (2º edição)

       Publicações Europa-América, 1957

 

 

 

 

 


sinto-me: poeta e pintora

publicado por poetaporkedeusker às 14:53
link do post | COMENTE, POR FAVOR... | favorito
|

17 comentários:
De linhaseletras a 29 de Agosto de 2008 às 21:44
Gostei do que li,é duma sinceridade e duma amizade tão pura que emociona quem lê, e deve ser muito emocionante para si poder desfrutar destas relíquias
Quem sabe se os nossos netos que também a minha amiga os deve ter também sintam este orgulho de nós como nós sentimos pelos nossos Pais e Avós.
Eu venho muitas vezes a este blog, só que nunca comentei nada mas a partir de agora vou comentar.
Boa noite até amanhã.


De poetaporkedeusker a 29 de Agosto de 2008 às 23:22
Fico-lhe muito agradecida, minha amiga. Já é uma maravilha que o leia! Este homem tinha um coração maior que o mundo! Adorava animais, defendia os pobres e havia sempre um almoço ou jantar para dar aos artistas mais necessitados e que, na altura, eram muitos. O Manuel Ribeiro de Pavia era Alentejano como a minha amiga. Em Pavia há uma casa-museu com o nome dele.
Um grande abraço!


De cateespero a 31 de Agosto de 2008 às 16:12
A isto chama-se autênticos tesouros a merecerem uma reedição. Vale a pena passar por cá. Abraços! António


De poetaporkedeusker a 31 de Agosto de 2008 às 16:40
Estou toda babada! Se Deus quiser, hei-de reeditar toda a obra dele! Só tenho pena de não ter o "Cruzeiro de Opalas", o livro com que ele se estreou, não tinha ainda 18 anos. Nem devo encontrá-lo em parte nenhuma. Tenho mesmo muita pena. Mas "O Encantado", dos 19 anos, tenho! Está um bocadinho a desfazer-se e tenho de ter mil cuidados com ele...
Um grande abraço!


De Fisga a 9 de Setembro de 2008 às 18:26
Olá amiga João. Falta-me aqui um tempero, para poder saborear as cartas de longe. Mas já pus as minhas influências a trabalhar no sentido de o obter. Esse tempero chama-se o livro de bordo, 2ª edição da Europa América. Um grande abraço. Eduardo.


De poetaporkedeusker a 10 de Setembro de 2008 às 11:32
Deixa estar, Eduardo. Ainda não perdi a esperança de o ver reeditado em livro! E adoraria poder editar "O Regresso do Encantado" que ele prometeu às editoras antes de morrer e nunca chegou a conseguir editar.
Um grande abraço!


De Fisga a 11 de Setembro de 2008 às 21:17
A tua força animica é que te fáz mover essasmontanhas, não desistas, tesns amigos que ajudam moralmente. Um abraço . Eduardo.


De poetaporkedeusker a 13 de Setembro de 2008 às 10:31
Obrigada Eduardo. Tenho bastante mais força "por dentro" do que "por fora"... ando que "não posso com uma gata pelo rabo...". Vamos lá ver se esta crise melhora!
Abraço!


De Fisga a 13 de Setembro de 2008 às 11:45
Amiga. É preciso perseverança, e esperança. Vais juntar-te ás tuas amigas de cavaqueira, dizem 2 ou 3 larachas cada uma e bebem um cafezinho e ficam logo todas como novas. Um abraço amigo. Eduardo.


De poetaporkedeusker a 13 de Setembro de 2008 às 12:19
Costuma ser sempre assim, mas ultimamente adormeço até sentada, a conversar e tudo...


De Fisga a 13 de Setembro de 2008 às 12:24
Ó minha amiga estás a contar isso a quem tem esse desprazer muitas vezes. é o fruto de se dormir muito mal de noite, mas eu também não me quero ainda tornar dependente de sonoriferos. Um abraço. Eduardo.


De poetaporkedeusker a 13 de Setembro de 2008 às 12:28
Pois! Mas o problema é que eu até tenho dormido bem de noite, ultimamente. Por isso é que estou a achar estranho... e as tarefas de casa vão-se acumulando, porque nem para isso eu tenho força...
Ando furiosa com este cansaço todo!


De Fisga a 13 de Setembro de 2008 às 15:47
Amiga. Só tens um caminho a seguir, e é urgente que te metas a ele. É ires ao médico, e contares-lhe o que se passa. Não podes ignorar a pouca saúde que já tens, e agora é muito má altura porque a terra está muito quente ainda. Alem disso tens as tarefas da casa todas atrasadas. Tem muito cuidado. Um abraço de amigo. Eduardo.


De poetaporkedeusker a 14 de Setembro de 2008 às 00:32
Vou ao hospital na 2º feira. Já tinha consulta marcada e as análises vão directamente para o gabinete da consulta. Hoje acabei por ter de me deitar de tarde, coisa que nunca faço.
Um abraço!


De Fisga a 14 de Setembro de 2008 às 19:45
Ó amiga então está a ser forçada a ceder à pressão da doença? Lamento muito, amanhã quando chegares do hospital se vieres em condições de o fazer manda-me uma mens. A dizer o que é que o médico te disse. Um grande abraço e melhoras rápidas. Eduardo.



De poetaporkedeusker a 16 de Setembro de 2008 às 13:40
Desculpa, Eduardo, só agora vi este comentário... ora, foi o costume... que o cansaço é próprio da doença e que tenho de habituar-me e não me deixar enervar muito, etc... deram-me um relaxante muscular, para tomar em cima do que já tomo. Vou ficar com mais sono ainda, porque aquilo faz sono... mas não te preocupes. Eu agora estou a recuperar o meu habitual bom humor. Ontem é que estava mesmo furiosa com tanto azar junto...


De Fisga a 16 de Setembro de 2008 às 15:50
Tens que ter calma amiga. Não te deixes dominar, faz de conta que não tens nada que fazer, senão os nervos dão conta de ti. Um abraço. Eduardo.


Comentar post

mais sobre mim
passando as folhas do livro...
 
Outubro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
24
25
26
27
28

29
30
31


posts recentes

COLECTÂNEA FÉNIX -

DUALIDADE

FLOR DO CÉU

ANTÓNIO DE SOUSA E NATÁLI...

Colectânea António de Sou...

arquivos

Outubro 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Novembro 2016

Junho 2014

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

tags

todas as tags

favoritos

CONVERSANDO COM MARIA DA ...

É a arte, solidão?

SO(LAS)

“A Linha de Cascais Está ...

CANTIGA PARA QUEM SONHA -...

Our story in 2 minutes

«A TAUROMAQUIA É A ÚNICA ...

Novidades a 13 de Dezembr...

LIMPAR PORTUGAL

Ler dos outros... (cróni...

links
as minhas memórias
subscrever feeds